porque sexo na banheira é bom….

vieira-000

ele disse e cantou: sexo na banheira é bom… e, porque o é, porque estamos em pleno acordo… dizemos: votar vieira é tão bom quanto pagar 5 euros por 8 quecas.

vieira-02pois é.

os portugueses aperceberam-se neste verão que a salvação da pátria foi anunciada. que em portugal, finalmente, há um candidato que poderá cumprir o desejo de todos – alcatifar esta nação de emigrantes e alguns marinheiros.

vieira

e porque assim é, a “gripe das aves” está em plena sintonia com o candidato vieira, o que não é de estranhar pois a própria furer do IV reich afirmou: “em 2001 quis votar no candidato vieira, mas não me deixaram. Como eu há mais de 10 milhões de portugueses” – in: “quem vai à guerra, dá e leva”

vieira-03

facto é que nenhum país tem um candidato como o nosso e, talvez por isso… a discórdia foi instalada nas hostes da direita e esquerda portuguesa – o pânico invadiu já as sedes dos partidos, uma vez que os seus “militantes” estão prontos para engrossar a horda que na república lusa gritará pelo nosso futuro presidente e exigirá sessões de sexo na banheira todos os dias

vieira-00

APOIA A CANDIDATURA

SE ÉS ELEITOR NAS ÁREAS METROPOLITANAS DE LISBOA E PORTO

1— FAZ o download da Declaração de Propositura e do Requerimento da Certidão de Eleitor em:

 http://www.vieira2016.com/images/files/propositura.pdf

e preenche os respectivos formulários.

(O nº de eleitor, bem como a Junta e o Concelho de recenseamento, podem ser obtidos com a indicação do nome e data de nascimento no site:

http://www.recenseamento.mai.gov.pt/)

2 — ENVIA a Declaração de proponente assinada e o requerimento da Certidão de Eleitor para a seguinte morada:

caixa p. 208

rua correia teles 28A

1350-100 Lisboa

campanha de praia

campanha de praia

Vieira na “prova oral” http://www.rtp.pt/play/p260/prova-oral

Anúncios

o campeonato eleitoral já teve início…

o campeonato eleitoral já teve início… e nós, sempre atentos à coisa, tomámos a liberdade de trazer para a “gripe” as melhores delícias… os melhores doces (imagens) que se podem encontrar e, sem dúvida, encantam os frequentadores das redes sociais – google+ e facebook. claro que estas coisas não são da nossa lavra, mas são – de facto – espelho da grande criatividade indígena.

se estamos de acordo? se não estamos…? se nos revemos na coisa?…

tais perguntas não passam disso mesmo, de perguntas. todavia poderemos avançar que os campeonatos nos enfadam, quaisquer campeonatos – os do futebol e os da política em especial. fiquem pois com estas pérolas gráficas “para mais tarde recordarem”

campanha-31 campanha-32 campanha-33 campanha-34 campanha-35 campanha-37 campanha-38 campanha-39 campanha-40 campanha-41 campanha-42 campanha-43 campanha-44 campanha-45 campanha-46 campanha-47 campanha-48 campanha-01 campanha-02 campanha-03 campanha-3 campanha-04 campanha-05 campanha-06 campanha-07 campanha-08 campanha-09 campanha-10 campanha-11 campanha-12 campanha-13 campanha-14 campanha-15 campanha-16 campanha-17 campanha-18 campanha-19 campanha-20 campanha-21 campanha-22 campanha-23 campanha-24 campanha-25 campanha-26 campanha-27 campanha-28 campanha-29 campanha-30

manifestações & carnaval – o Brasil no seu melhor

m-nem mais

No Brasil o “grande carnaval político” não passa, só, pelo “impeachment” da presidente Dilma ou pela paranóia das religiões neo-pentecostais (homofóbicas e adeptas da perseguição dos adeptos de outras confissões religiosas) – agora já exigem o “impeachment” do papa Francisco, o regresso à ditadura militar e, pasme-se, o regresso à situação de colónia portuguesa sob o “comando” da família real – os bragança.

o ridículo atinge o seu auge.

como é possível?…

moral-et

manifestantes em defesa da moral e bons costumes

moral-1 moral-2 moral-3

manifestantes em defesa do regresso à ditadura e do fascismo

moral-naz

porque não os mataram todos, quando da ditadura?

moral-odio

os heróis das manifestações pró “impeachment”

moral-cagaço

16/08 – Uma ala da extrema-direita defende o retorno da Família Real Portuguesa ao poder no Brasil.

Uma ala ainda mais radical, defende que o Brasil volte a ser colónia de Portugal.

monarc

o analfabetismo “radical”…

moral-escrita moral-o

exigência  do “Impeachment” do Papa, por tentar instaurar uma República Bolivariana no Vaticano!

o aeroporto construído com dinheiros públicos em propriedade do tio do candidato neo-liberal a presidente, Aécio Neves, quando governador do estado de Minas gerais

Tucano Aécio Neves gasta R$ 14 milhões de recursos públicos para construir aeroporto dentro da fazenda de seu tio

Candidato a presidente da república pelo PSDB, Aécio Neves, está rebolando para explicar o injustificável: O governo do estado de Minas Gerais, quando ele era governador, gastou R$ 14 milhões para a construção de um aeroporto nas terras de seu tio. (dos jornais)

aeroporto aecio aeroporto

a escola pública, os colégios privados & uma jornalista vitima da lei da rolha (onde já vimos isto?)

a jornalista Ana Leal mostrou em reportagem (TVI) como os nossos governantes esbanjam o dinheiro público no financiamento do ensino privado – na sequência da reportagem Ana Leal perdeu o emprego.

a lei da rolha está de volta. incomodar os senhores estadistas neo-liberais, é proibido.

ana hatherly 1929-2015

ana hatherly 1929-2015

ana hatherly 1929-2015

O que é preciso é gente
gente com dente
gente que tenha dente
que mostre o dente

Gente que não seja decente
nem docente
nem docemente
nem delicodocemente

Gente com mente
com sã mente
que sinta que não mente
que sinta o dente são e a mente

Gente que enterre o dente
que fira de unha e dente
e mostre o dente potente
ao prepotente

O que é preciso é gente
que atire fora com essa gente

Essa gente dominada por essa gente
não sente como a gente
não quer
ser dominada por gente

NENHUMA!
A gente
só é dominada por essa gente
quando não sabe que é gente

Ana Hatherly, in “Um Calculador de Improbabilidades”

"pela leonor verdura" imagem do espectáculo de "mandrágora" sobre a poesia esperimental portuguesa. com bruno vilão e iris santos. encenação de m. almeida e sousa

“pela leonor verdura” imagem do espectáculo de “mandrágora” sobre a poesia esperimental portuguesa. com bruno vilão e iris santos. encenação de m. almeida e sousa

Descalça vai para a fonte
Leonor pela verdura
Vai formosa e não segura

CAMÕES

quando leonor pela manhã estava nua
acorda e sente essa verdura irmã da
formosura das fontes e da verdura
estende o pé e pisa o chão descalça
e treme de verdura pela formosura da
manhã primeiro jacto da fonte da verdura
seu pé descalço treme de frio como tremem
as faces da verdura abrindo suas bocas
à aragem fria da manhã segura como a
fonte segura da verdura da aurora e nua
como leonor fremente pela verdura e tão
formosa como a fonte que irrompe de
súbito como o dia estende o pé descalço
para fora do leito da fundura da noite
em que dormem as fontes a verdura a
formosura e leonor insegura ergue-se a
caminho pela verdura e na verdura colhe
formosura vai para a fonte nua

ana-h1 Ana-Hatherly2

Ana Hatherly