editar… das edições de mandrágora (bicicleta-edições)

edições de teatro

“sobre rodas” de manuel almeida e sousa – 4 peças teatrais (11€ – envio por correio sem custos de portes)

edição11

“a inundação” – teatro de renato suttana (7€ – envio por correio sem custos de portes)

edição6

“o pintor” teatro de martim d’alba (3€ – envio por correio sem custos de portes)

edição7

“frankenstein em Lisboa” teatro de victor belém (10€ – envio por correio sem custos de portes e com oferta da revista bicicleta)

edição12

“jacto de sangue” teatro de antonin artaud (3€ – envio por correio sem custos de portes)

edição13

“a fumaça disse-me que sim” teatro de manuel de almeida e sousa (3€ – envio por correio sem custos de portes)

edição5

 

edições poéticas & contos

“o fantasma de creta e outros contos” de rafael dionísio (13€ – envio por correio sem custos de portes)

edição14

“diário de buenos aires” de renato suttana (5€ – envio por correio sem custos de portes)

edição9edição10

“tarot poético da deusa éris” (baralho) de manuel almeida e sousa (10€ – envio por correio sem custos de portes)

edição1edição2edição3

“cantos do corvo negro” textos poéticos de manuel almeida e sousa (9€ – envio por correio sem custos de portes)

edição4

“frente & costas” da poética e do teatro “experimental” de manuel almeida e sousa (3€ – envio por correio sem custos de portes)

edição8

 

___________________

nota: envios para o estrangeiro acrescidos de 1,5€ de portes – contactar mandragorarte@aim.com

señor… barroso

barroso

JUNTO a la isla cercada
(casi) siempre sopla un mata-vacas que enloquece.
El anfitrión dos Açores ofrece argumentos bélicos a aquellos que no sienten más aprecio/dolor que el petróleo abundante o escaso. Ahora es un animal resbaladizo (enguia) al asalto de instantes de oro amarillo y negro. Un animal de sombra que en los muros se espesa como un antiguo/nuevo delito. No dejemos que prosiga su quehacer el animal silente que a ciegas nos conduce hacia el abismo.

16-3-2013
08-7-2016
Santiago Aguaded Landero

última hora: este ano no dia de camões…

é nosso dever informar – com verdade – os nossos concidadãos. em vésperas de mais um dez de junho, confirmámos e podemos adiantar:…

última hora

finalmente a pátria de camões irá condecorar os seu heróis. 

o povo exige e o que o povo exige, será cumprido.

assim será. e sua excelência o presidente de todos nós, votantes, cumprirá (como é seu dever) a vontade popular.

1º um colar de ouro da ordem de cavalaria “bravos e destemidos lusitanos” e o titulo republicano de comendador para o nosso herói nacional

o qual cometeu este feito exemplar:

“Membro da troika roubado no elétrico 28

Ladrão escapou sem que o economista Albert Jaeger tenha percebido”

 

“Carteirista assalta economista da troika

Q-Vitima 1

a dita “vítima”

Albert Jaeger, economista austríaco do Fundo Monetário Internacional (FMI) residente em Lisboa, foi assaltado por um carteirista quando passeava de eléctrico.”

 

Carteirista português vai ao bolso da troika

Q-argumento

O austríaco Albert Jaeger, representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) a viver em Lisboa desde Outubro, ficou sem a carteira no eléctrico 28, enquando viajava com vários turistas até ao Castelo de São Jorge.

___________

2º colar da ordem dos grandes piratas “d’aquém e d’além mar” para a Senhora D. Quina com direito a aposentação equivalente ao cargo de presidente da república

QUINA1

D. Quina – “um exemplo maior…”

pela sua larga experiência e exemplo (pedagógico) para os mais novos

 

“Quina”, a mais velha carteirista do país, voltou a ser apanhada

Desta vez em Amarante, nas festas de junho. A vítima queixou-se à GNR e, depois de uma perseguição por entre a multidão, os militares encontraram a mulher que acabou, mais uma vez na esquadra. No mês passado, tinha sido condenada a pena suspensa naquela que a juíza disse ser “a última oportunidade”

QUINA2

“Mulher de 85 anos apanhada a roubar… outra vez. Quina tem um longo currículo. Uma mulher de 85 anos foi apanhada a roubar pela polícia. Tudo ocorreu terça-feira, durante o cortejo da Queima das Fitas, no centro da cidade do Porto.”

 

“Joaquina Gonçalves, apanhada em flagrante a roubar uma carteira na Queima das Fitas do Porto, foi esta manhã condenada a cinco meses de prisão, com pena suspensa por um ano. Juíza avisou a mais velha carteirista do país no ativo que para a próxima fica mesmo detida”

 

“A juíza do Tribunal de Pequena Instância Criminal do Porto alertou Quina, de 85 anos, que ou se emenda ou para a próxima vez que for apanhada a furtar carteiras não haverá contemplações. “Vai-lhe ser dada uma última oportunidade. Por isso, se voltar a praticar crimes, vai mesmo presa”, afirmou a magistrada no decurso da sentença proferida esta manhã”

 

no dia das pátrias dos camões e dos aviões que se aproxima a olhos postos

I

sentámo-nos de frente – um ao outro.
na mesa… desenhei os teus sapatos.

riste

a tua camisa preta reflectia o brilho de boas-vindas, grunhia como pasteis gentis
e
mostrou-me os dentes.

claro que nenhum tiro, por mais subtil, se comportará como uma besta orgulhosa exibindo as longas pernas diante das câmeras.

meras alusões clássicas para desculpar a nudez?
não.

há que não dizer muito.
basta rir. subtilmente…
e
ao rir
rimos sempre alto.

BBB-navio-perna

II

o mesmo chapéu
a mesma camisa

é.

o silêncio compartilhado adoçou o nosso café e ficámos ali sentados sem quaisquer palavras que pudessem escorrer da boca
apenas risos
risos escolhidos, vestidos
e
alimentados por táxis
risos inconsoláveis como bilhetes de ida sem volta.

nestes dias cinzentos e sombrios, a pele nua não se mexe.
atraídos pelo cheiro das ervas, mil insetos nos invadem
vêm ouvir o mar.
por baixo dos pés, suficiente perto do bater das ondas, o vento aproxima-se
quer lamber as águas.
nós, porém, acordámos
e
os teus impressionantes olhos encovados
captaram as imagens que nos permitem imaginar, por um momento, o tempo de outros lugares lamentavelmente pequenos para comportar as sombras profundas projectadas nos lençóis.

isso…

como vozes debaixo da cama.

ele nunca mente!… ele é um homem sério! ele é…

o gajo não mente. o gajo anda é meio desmemoriado. o gajo, o Passos, o  Coelho… disse que “nunca” esteve numa inauguração enquanto liderou o Governo. claro que não.

o gajo, o Passos, o  Coelho… disse que “nem de estradas, nem de autoestradas, nem de pontes, nem de porra nenhuma”.

o gajo, o Passos, o  Coelho… disse que “estaria lá com certeza o senhor ministro da Economia em representação do Governo”…

claro que nunca esteve, o gajo que se vê nas imagens (roubadas por aí na net) é o Pedro. e o Pedro não é o gajo, o Passos, o  Coelho. pois não

ng6701550ng6701536ng6701551ng6701553ng6701554ng6701556ng6701585