num só voo

uma vontade enorme
a de voar

vergado sob a carga da vontade
mas já sem vontade nenhuma
ergue-se com um só pé
e
canta áreas de opera ao ritmo dos martelos
que pairam nos seus degradantes pensamentos

o abismo era pedra
e
o soalho aproximava-se
mais
mais
mais
e
mais

com um segredo no olhar
esfregou as pontas dos dedos na face enrugada
sorriu frouxamente
e
contornou os ossos

as formigas devoravam-lhe o estômago

degrau por degrau
desce a escadaria

em frente
deixa entreaberta a porta da revolta

que há para além da imagem?
perguntava-se envolto por sonos profundos.

o mundo foi revisitado por muitos olhos
e
pelos pensamentos que navegavam os lençóis

tudo converge directamente para o exterior

porque a vontade é enorme
a de voar

salto

em queda livre

mas

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s