Um dia de nojo

f-colagem

Este pensamento anti-inflamatório
quando sinto espalhar-se pelo quarto
lenços perfumados, cremes, frio,
rancor e preservativos.

 

Sei que se ganha a vida sempre à rasca
e perde-se à vontade.
A verdade e a ternura são produtos que nada vendem.
Mas o negócio segue em frente como as meninas na estrada.
Ainda esta solidão que não merece o meu pensamento:

 

o ardor das carícias, as unhas lascadas, os escarros.
Os barcos permanecem no estômago da noite.

 

Restam por aqui esses abortos 
que regateiam a minha esperança. 
Velhos encalhados nas margens do álcool, 
dispostos a desatar os nós do meu desespero.
E porque as minhas voltas são sempre nós apertados,
assim me deixo ficar:
em ódio, em nojo
e em veneno.

fernando esteves pinto – 1967
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s