2 poemas – 2 imagens

2 imagens de m. almeida e sousa – 2 poemas de renato suttana

 

 

série-pe03
Escrevo assim teu NOME
nas lápides de cera.
Lembro que numa praia
foste um dia de areia:

foste uma onda, uma nuvem
pairando sobre o verde –
e que Deus te dizia
(entre os gritos das ondas)

uma palavra estranha
que era feita de vidro
e sobre a qual passeavas,
desatenta aos rumores.

Tudo, naquele dia,
pertencia ao verão:
tua casa, teu ombro,
tuas recordações,

tua toga de chita,
teus lugares-comuns,
teu pergaminho, teu
hieróglifo de brisa.

série-pe04

Usando (vede) a máscara
menos por distração
que por raiva do vento,
tu chegaste a dezembro,

vencendo tempestades,
atravessando as dunas,
desafiando o relâmpago,
com teu sexo intocado.

Usando (sempre) a máscara
vieste, de qualquer longe,
onde as pedras têm nome
e as canções são de gelo.

E então, parando à porta
por um longo momento,
e usurpando, a sorrir,
uma nesga do caos,

sobre uma mesa feita
de desejo e fadiga
e expectativas tolas,
depuseste o presente.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s